Governo do Estado vai investir R$ 53,7 milhões na ampliação da rede de oxigênio de 250 hospitais

Imagens da Internet

Imagens da Internet


O Governo de Minas vai investir R$ 53,7 milh√Ķes para a estrutura√ß√£o, amplia√ß√£o e otimiza√ß√£o do sistema de gases medicinais (oxig√™nio) dos hospitais inseridos no Plano Operativo de Conting√™ncia Macrorregional para o Enfrentamento à covid-19. A medida vai beneficiar cerca de 250 hospitais da rede pública do estado e tem como objetivo garantir o abastecimento de g√°s e, consequentemente, o atendimento à popula√ß√£o mineira neste momento em que o sistema de saúde est√° sobrecarregado.


Cada hospital poder√° contar com valores entre R$ 115 mil e R$ 315 mil para substituir cilindros de oxig√™nio que precisam ser recarregados de 4 em 4 horas, em média, por tanques de armazenamento. Os recursos poder√£o ser utilizados desde a reforma do sistema de gases medicinais até a estrutura√ß√£o de usinas de oxig√™nio. O investimento estimado por parte do Estado é de R$ 53,7 milh√Ķes. A delibera√ß√£o foi publicada nesta quinta-feira (1¬ļ) no Di√°rio Oficial Minas Gerais, por meio da resolu√ß√£o CIB-SUS 7461.


Os valores de repasses estipulados por hospital levam em considera√ß√£o a estrutura de armazenamento e/ou produ√ß√£o de gases medicinas, o consumo médio de oxig√™nio por leito covid-19, a perspectiva de aumento no consumo cilindros em quatro meses e o número de leitos do estabelecimento.


Estoques

Visando evitar o esgotamento da capacidade de atendimento à popula√ß√£o na rede pública de Saúde e o desabastecimento de medicamentos e gases medicinais, o Governo de Minas também publicou, nesta quinta-feira (1¬ļ), altera√ß√Ķes nas delibera√ß√Ķes 63 e 73 de 2020 do Comit√™ Extraordin√°rio Covid-19.


Foi determinado que as redes públicas e privadas de assist√™ncia médico-hospitalar devem informar à Secretaria de Estado de Saúde o os estoques de medicamentos para intuba√ß√£o a cada semana ou em outro intervalo de tempo fixado pela secretaria.


"Desta forma, a rede privada de assist√™ncia passar√° a fazer parte da rede solid√°ria do estado, em que, por meio do acompanhamento dos estoques de medicamentos e insumos, as unidades poder√£o contribuir entre si para suprir car√™ncias umas das outras", explicou o secret√°rio de Estado de Saúde, o médico F√°bio Baccheretti.